Beto Shibata, um dos sócios do Firmorama, participou pela segunda vez de uma MESA como especialista em Branding e contou para nós como foi essa experiência.

MESA é uma iniciativa encabeçada por Barbara Soalheiro que desenvolveu um sistema de trabalho desenhado para resolver problemas complexos ao liberar o potencial humano para processar mais e executar mais rápido.

Trata-se de resolver, em cinco dias, uma missão para um cliente real juntamente com outros profissionais que possuem diferentes habilidades. A MESA já aconteceu mais de 160 vezes e conta com edições também nos Estados Unidos.

Os cinco dias são divididos entre: 1. apresentação, 2. missão, 3. ideação, 4. protótipo e 5. apresentação.

Foto: @felipeinacio__

“Participei da MESA pela segunda vez e isso pode trazer um certo conforto pelo fato de já ter passado pela experiência, porém, ainda assim tinha grandes expectativas sobre o desafio a ser realizado.

Quando Bruno D’Angelo me convidou para a MESA, eu estava saindo de férias e, naquele momento, tudo o que queria era entrar na minha zona de conforto e não o contrário. Saber que Oga Mendonça, um grande amigo, também estaria no grupo, foi um incentivo a mais para fazer parte do processo, que vai muito além de habilidades técnicas ou criativas.

Nesta edição a MESA foi liderada por Bruno D’Angelo, Duda Buarque e Julia Nogueira, com a qual já havia trabalhado na época da MTV. Nesse método, os líderes têm um papel fundamental entre os participantes: coordenam as entregas, mediam os contatos, garantem que tudo ocorra dentro do planejado e estão sempre de olho no bem-estar da equipe.

Bruno D’Angelo, Julia Nogueira e Duda Buarque / Foto: @felipeinacio__

A MESA tem uma curadoria de pessoas/profissionais que fazem tudo valer a pena e nesta experiência os mínimos detalhes contaram para que todos pudessem dar o seu melhor para o resultado final do projeto. A temperatura da sala, sua comida favorita na noite que exige um pouco mais de trabalho, uma cadeira confortável para as costas não doerem, os materiais de trabalho milimetricamente posicionados depois dos intervalos, profissionais especialistas convocados para um desafio específico do protótipo, sorvete de baunilha com waffle e calda de chocolate quando a energia baixa e os small talks com cada integrante são alguns dos cuidados que recebemos durante a semana.

Em cinco dias você recebe e troca todo o conteúdo necessário para os objetivos da missão, entra em discussões, contribui com suas opiniões e repertório de vida, se mostra vulnerável quando não tem a resposta, é acolhido pelo grupo e se torna cúmplice do objetivo a ser apresentado ao final do último dia.

Alternando o tempo todo entre hard skills (habilidades técnicas) e soft skills (habilidades emocionais), nessa edição a missão se relacionava com parentalidade, ou seja, as vivências dos participantes são parte importante do processo.

Em resumo, é o melhor lugar para aplicar suas habilidade sociais, emocionais, técnicas e humanas. E no final, tudo dá certo e o projeto fica lindo e consistente graças às pessoas incríveis que se reúnem em volta da MESA!”

Foto: @felipeinacio__