O projeto de naming pode fornecer recursos para o posicionamento da marca. Conheça suas metodologias e etapas

O nome é elemento fundamental do branding e sua criação e escolha são feitas por meio de um processo estruturado. Nomes carregam significados, identificam e diferenciam, além de evocar sensações e facilitar a lembrança da marca, por isso, neste artigo falaremos sobre como nasce um nome, quais são as etapas de um projeto de naming e como embasar processos criativos.

Neste artigo, você encontrará:

  1. O que é naming
  2. Tipos de nomes
  3. Etapas de um processo da naming
  4. Atributos e critérios para construção de nomes

Para começar, o que é naming

Em sua tradução literal, “naming” significa nomear, ou seja, dar nome a uma marca, produto, serviço ou personagem. Aqui no Firmorama, trabalhamos com uma metodologia própria para a criação de nomes, com uma série de etapas que levam em consideração o briefing, os principais atributos da marca, a mensagem a ser transmitida e seu Registro Legal. 

O processo de naming tem como principal objetivo criar algo significativo e de valor – não simplesmente curto, forte ou de fácil pronúncia, mitos que permeiam o universo de naming como se fossem obrigatoriedades –, mas nomes que sejam interessantes, contem histórias e se conectem com o propósito de cada marca, expandindo possibilidades para o seu futuro.

Wissen, nome criado pelo Firmorama para tap house de cervejas artesanais. Veja o case

Um nome, por melhor e mais direto que seja, dificilmente conseguirá expressar todas as nuances, características e diferenciais da marca, afinal, uma marca se constrói diariamente, com consistência e personalidade. Entretanto, ele pode fornecer recursos para o seu posicionamento, contribuir com estratégias de marketing e se tornar uma lembrança efetiva na mente de seu público.

Tipos de nomes

Existem alguns tipos de nomes que direcionam o processo criativo de geração de alternativas e podem guiar o projeto.

Quando mostramos exemplos, intenções e significados, fica mais fácil descobrir com quais opções o cliente mais se identifica, quais são seus interesses e o que as equipes internas visualizam como favorável para potencializar aquela marca.

Conheça alguns tipos de nomes:

Descritivos e Funcionais

Os nomes descritivos são aqueles mais diretos, que expressam de maneira imediata a natureza do negócio ou os produtos/serviços oferecidos. Os nomes funcionais seguem a mesma linha de identificação, embora se proponham a combinar elementos funcionais para representar a área de atuação. 

Exemplos de nomes descritivos e funcionais: Banco24Horas, Ticket Restaurante, American Airlines e General Motors.

Inventados

Os nomes inventados não possuem um significado explícito além daquele que foi estabelecido para a marca em questão; eles podem ser criados a partir de uma sonoridade interessante, da união de diferentes termos ou derivar de outras palavras.

Nomes inventados dispõem de maior facilidade de registro, porém, exigem uma construção de storytelling mais elaborada para que o público o conecte com a essência da marca.

Curiosidade: O nome Häagen-Dazs, da mundialmente conhecida marca estadunidense de sorvetes, não possui qualquer significado. Ele foi concebido com a intenção de parecer europeu e soar como um produto importado, de qualidade superior.

Exemplos de nomes inventados: Kodak, Pixar, Google e Xerox.

Nonnonapo, nome criado pelo Firmorama para pizzaria napolitana. Veja o case

Experienciais

Esta categoria abrange nomes que estão relacionados às experiências proporcionadas pela marca, trazendo à tona emoções, sentimentos e expectativas.  

Exemplos de nomes experienciais: Patagonia, Explorer, Navigator e Reserva.

Origem e Geográficos

Nesta categoria de nomes destaca-se o local de origem da marca, a proveniência principal de seus insumos e matérias-primas, o lugar no qual ela atua ou regiões que serviram de inspiração para a criação de seu nome.

Exemplos de nomes com origens e geográficos: Aerolíneas Argentinas, Fujifilm, Puket e Parmalat. 

Evocativos

Nomes evocativos estão associados a lembranças, analogias e metáforas, ou seja, oferecem recursos para que, por meio da imaginação, as pessoas possam ligá-los às características dos produtos de forma positiva.

Estes nomes podem, ainda, evocar atributos relacionados ao posicionamento e às experiências propostas pela marca.

Exemplos de nomes evocativos: Yahoo!; Jaguar, Mustang e Antarctica.

Sal y Fuego, nome criado pelo Firmorama para restaurante especializado em carnes grelhadas. Veja o case

Abreviações e Acrônimos

Nomes abreviados ou acrônimos são formados a partir das letras iniciais ou sílabas de diversas palavras, que designam a atuação do negócio (como FEDEX: Federal Express e SBT: Sistema Brasileiro de Televisão), seu slogan (como LG: Life’s Good) ou a junção dos nomes dos fundadores da empresa.

Exemplos de nomes abreviados e acrônimos: 3M, Adidas, MTV e HBO.


Etapas de um processo de naming

Para criar um nome notável, existem caminhos, técnicas e estágios que contribuem para um processo mais assertivo e alinhado aos objetivos do projeto. Estas são as etapas de um processo de naming:

  • Briefing
  • Alinhamento de caminhos possíveis
  • Criação
  • Análise de disponibilidade
  • Pesquisas de domínio e resultados relacionados
  • Defesas criativas
  • Apresentação para o cliente
  • Registro Legal
Zitrus, nome criado pelo Firmorama para healthtech. Veja o case

Atributos e critérios para construção de nomes

Para compreender o potencial dos nomes que criamos para marcas e empresas, fazemos algumas perguntas que se tornam critérios norteadores. Elas contribuem para um processo mais assertivo e facilitam a validação junto ao cliente:

  • Valor semântico: Transmite a ideia ou atitude correta?
  • Impacto estratégico: Está alinhado com os objetivos da marca?
  • Estrutura fonética: É fácil de ser memorizado, pronunciado e escrito?
  • Registrabilidade: Está disponível para registro legalmente?
  • Distinção: Proporciona diferenciação em relação aos concorrentes?
Nina Go!, nome criado pelo Firmorama para marca de moda teen feminina. Conheça aqui

Ao apresentar as opções selecionadas ao cliente, muitas vezes causamos estranhamento e muita reflexão, afinal, possivelmente as pessoas estão se deparando com estes nomes pela primeira vez, buscando se conectar com palavras ou composições com as quais ainda não tiveram nenhum contato e tentando vislumbrar como será o futuro deste negócio.

E aqui, nós reforçamos que marca é uma construção: unindo o nome a uma identidade visual e um posicionamento verdadeiros e relevantes, é possível observar muitas possibilidades e um amplo potencial – que provavelmente não seria alcançado com o nome atuando individualmente.

Se você está desenvolvendo um novo projeto e precisa de um nome para começar a materializar suas ideias, entre em contato com o Firmorama. Ah, e o mesmo vale para marcas que necessitam de uma revitalização para que possam evoluir e ir ainda mais longe. Vamos juntos?